Filtro de procura
Voltar

FCC alcança o maior contrato internacional da história da construção espanhola

29/07/2013

FCC alcança o maior contrato internacional da história da construção espanhola

  • O valor global para a construção do metro de Riad supera os 16.300 milhões de euros
  • O Grupo de Servicios Ciudadanos lidera um consórcio para construir as linhas 4, 5 e 6 do metro da capital saudita pelo valor de 6.070 milhões de euros
  • Com a FCC, participam no consórcio os coreanos da Samsung, os franceses da Alstom, os holandeses de Strukton, Freyssinet Saudi Arabia e as engenharias espanhola Typsa e francesa Setec.
  • O metro de Riad, com 176 quilómetros, será o mais longo em construção no mundo
  • O prazo de execução das obras é de 5 anos e empregará a mais de 15.000 pessoas
FCC alcança o maior contrato internacional da história da construção espanhola

FCC alcançou um novo marco na história da construção internacional. O Grupo de Servicios Ciudadanos figura entre os adjudicatários de um dos lotes para a construção do metro de Riad (Arabia Saudita), com uma proposta global estimada por cima de 16.300 milhões de euros, 2.5 vezes a ferrovia entre Medina e Meca. Trata-se do maior contrato internacional da história da construção onde participou como adjudicatária una empresa espanhola. Em concreto, o Grupo de Servicios Ciudadanos lidera um consórcio para a construção das linhas 4, 5 e 6 do metro da capital saudita por um valor de 6.070 milhões de euros.

No consórcio liderado pela FCC estão integrados também os coreanos de Samsung e os franceses da Alstom, como seus principais integrantes. O grupo adjudicatário completa-se com os holandeses da Strukton, Freyssinet Saudi Arabia, os espanhois da Typsa e os franceses da Setec. O prazo de execução das obras será de 5 anos e a sua construção dará emprego a mais de 15.000 pessoas.

A Autoridade para o Desenvolvimento de Riad (ADA, pelas suas siglas em inglês) adjudicou ao consórcio um conjunto dos três lotes de que constava o concurso para a construção do metro da capital do país árabe, o maior do mundo em projeto com 176 quilómetros de comprimento. Este terceiro lote consiste na concepção e construção das linhas 4 (laranja), 5 (amarela) e 6 (roxa), onde constarão 25 estações para as quais será necessário um total de 64,6 quilómetros de vias de metro, 29,8 quilómetros de viadutos, 26,6 quilómetros de vias subterrâneas e 8,2 quilómetros de vias de superfície.

Este projeto das autoridades sauditas figura entre as licitações de obra civil de maior valor do mundo na atualidade. O processo iniciou em julho de 2012, quando 37 consórcios integrados por líderes mundiais do sector da construção, fornecedores de material de via e sistemas ferroviários se interessaram pelo concurso. Entre estes consórcios candidatos só se pré-qualificaram quatro: o liderado pelos alemães da Siemens e Vinci, o encabeçado pela Bombardier e OHL, o dos italianos de Ansaldo e os austríacos de Strabag e o da FCC.

O consórcio liderado pela FCC empregará para a construção das três linhas adjudicadas três tuneladoras (do tipo TBM), de quase 10 metros de diâmetro. Os trens que funcionarão nestas linhas têm duas carruagens, operarão sem condutor e serão fornecidos pela Alstom. As estações serão de quatro tipos: elevadas, de superfície, subterrâneas e de intercâmbio para a ligação entre diferentes linhas.

O maior projeto de metro do mundo

As seis linhas que compõem o projeto global do metro da capital saudita terão um comprimento superior a 176 quilómetros, o que o converte no maior metro suburbano do mundo atualmente em projeto. Para a sus construção requerem-se 600.000 toneladas de aço (equivalentes a 80 vezes ao empregue para construir a Torre Eiffel), 4,3 milhões de metros cúbicos de betão (11 vezes o utilizado em Burj Khalifa, o arranha-céus mais alto do mundo), e mais de 30.000 trabalhadores, dos quais mais de metade afetos ao lote do consórcio liderado por FCC.

O novo serviço público de transporte é uma oportunidade para transformar a cidade de Riad. A nova infraestrutura de transporte reduzirá a congestão do tráfego, reforçará e impulsionará a economia do reino da Arabia e melhorará a qualidade de vida dos cidadãos sauditas.

Na cidade de Riad residem atualmente cerca de 5,7 milhões de habitantes com uma projeção de 8,3 milhões para 2.030. O metro é uma solução aos problemas de tráfego diários, com 7,4 milhões de deslocamentos, dos quais só 2% se realiza atualmente em transporte público.

FCC no Oriente Medio

Com este contrato, o Grupo de Servicios Ciudadanos reforça a sua presença na Arabia, onde já trabalha desde há mais de dois anos através da FCC Aqualia para otimizar a rede de abastecimento de água de Riad, numa extensão superior a 6.000 quilómetros. Estas operações de melhoria empregam 160 pessoas e permitirão oferecer um melhor serviço a mais de três milhões de habitantes.

Este contrato foi o primeiro de gestão de água concedido a uma empresa espanhola no Médio Oriente. Neste mercado, poucos meses depois, adjudicaram à FCC Aqualia um novo contrato de operação e manutenção do sistema de saneamento e tratamento no emirato de Abu Dhabi.

FCC dispõe de escritórios também no Qatar e no Kuwait. Atualmente constrói no Qatar duas pedonais e a fase II dos trabalhos de urbanização de Barzán em Al Wajba, a 15 quilómetros da capital. No Dubai realizou obras singulares na zona como o Cricket Stadium.

Ampla experiencia internacional na construção de metros

A construção das linhas 4,5 e 6 do metro de Riad une-se à ampla experiencia do Grupo FCC na construção deste tipo de linhas de metropolitano em todo o mundo. No exterior, o Grupo participou no prolongamento da linha 2 do Metro de Atenas, que incluiu as estações de Peristeri e Anthoupoli e o metro de Deli, na India.

Atualmente constrói a linha 1 do metro do Panamá (mais de 1.000 milhões de euros), o metro de Toronto-York Spadina (Tysse) no Canadá, que inclui a construção dos túneis Norte e da estação Highway 407 (304 milhões de euros), a construção do troço 1 da linha 5 do metro de Bucareste na Roménia (267 milhões de euros), o metro de Málaga e a línea 9 do metro de Barcelona.

Em Espanha terminou a construção do prolongamento da linha 10 do Metro, os tramos I e III da Metrosur, a linha 8 do metro Barajas-T4, e a linha 3, Legazpi-Villaverde em Madrid. Em Barcelona foi encarregada de diversos tramos de obras das linhas 2,5 e 9.

Atividade em Portugal

Em Portugal, em conjunto com a RRC, participou na construção da linha vermelha do Metro de Lisboa (tramo Alameda-Expo), incluindo as estações intermédias do referido troço e na construção das estações do Lumiar e de Alfornelos.