Filtro de procura
Voltar

Barragens de Ribeiradio e Ermida

17/03/2016

Barragens de Ribeiradio e Ermida

  • A obra teve um valor final de mais de 100 milhões de euros.
  • As barragens encontram-se em pleno funcionamento.
Barragens de Ribeiradio e Ermida

A Ramalho Rosa Cobetar, em consórcio com a sua empresa matriz FCC Construcción e uma outra empresa portuguesa, finalizou a construção, para a EDP, do Aproveitamento Hidroelétrico de Ribeiradio-Ermida. Este empreendimento orçado em mais de 100 milhões de euros localiza-se no rio Vouga, entre os concelhos de Oliveira de Frades e Sever do Vouga, nos distritos de Viseu e Aveiro, respetivamente.

É constituído por dois escalões: escalão de Ribeiradio, a montante, e escalão de Ermida, a jusante. 

O escalão de Ribeiradio compreende a barragem, de betão com perfil gravidade, com 74m de altura máxima e um desenvolvimento de 262m pelo coroamento, com 9m de largura, situado à cota (112,0). O eixo do coroamento tem planta em arco de circunferência com 240m de raio. Na parte central do coroamento está localizado o descarregador de cheias, em lâmina aderente, com três vãos controlados por comportas. A água descarregada é restituída ao rio por meio de um roller-bucket. Ao longo do bordo esquerdo do descarregador de cheias desenvolve-se uma conduta de descarga de fundo. Imediatamente a jusante da barragem ficará localizada a central, num poço circular com 22,50m de diâmetro interior e 26,90m de altura, equipada com um único grupo, não reversível, com 72 MW de capacidade. O poço está coberto por um edifício destinado à descarga, montagem e movimentação dos equipamentos e, ainda, às instalações de apoio da central. A alimentação da central é feita por meio de uma galeria de adução com 5,5m de diâmetro, alimentada por uma torre de tomada independente, localizada a montante da barragem e ligada ao coroamento através de uma passagem em betão. A restituição é efetuada imediatamente a jusante da bacia de dissipação existente no pé da barragem. A descarga de fundo da barragem de Ribeiradio desenvolve-se paralelamente ao bordo esquerdo do descarregador de cheias, sendo constituída essencialmente por uma conduta de secção circular com 2,5m de diâmetro, blindada, que atravessa o corpo da barragem numa extensão total de 50,30m. A albufeira de Ribeiradio tem uma capacidade total de cerca de 135 hm³.

O escalão de Ermida, localizado cerca de 4km a jusante de Ribeiradio, compreende uma barragem de betão, com perfil gravidade e eixo retilíneo, com 35m de altura máxima e um desenvolvimento de cerca de 175m pelo coroamento, com 4m de largura, situado à cota (55,0), em cuja parte central se encontra assente o descarregador de cheias, em lâmina aderente, com 55m de largura total e sem comportas. A água descarregada é recebida numa bacia de dissipação por ressalto a jusante da qual se efetua a restituição ao rio. Ao longo do bordo direito descarregador de cheias desenvolve-se uma conduta de descarga de fundo, a qual permite a regulação de caudal e poderá se utilizada como órgão para libertação de caudais ecológicos. Junto ao encontro direito da barragem está instalada uma central de pé-de barragem. É essencialmente uma caixa paralelepipédica de betão armado e encontra-se equipada com dois grupos iguais com 3,3 MW de capacidade unitária. A albufeira criada por esta barragem, com cerca de 3 hm³ de capacidade total, permitirá modular os caudais turbinados na central de Ribeiradio, minimizando as variações de caudal sentidas para jusante.

A empreitada incluiu ainda a construção dos acessos às barragens, com um comprimento total de 2500 metros, assim como o restabelecimento a uma cota superior de dois troços de estrada que ficaram submersos, um na EM569, com 2350 metros e outro na EN333-3, com 1000 metros de comprimento. Em cada um destes restabelecimentos foi construída uma ponte.